Cases

25

APR - 2017

ABBC tem infraestrutura de TI gerenciada por Teiko e OpenUX, empresas do Grupo Indyxa

Fundada em 1983, a Associação Brasileira de Bancos (ABBC) tem como objetivo contribuir com o Sistema Financeiro Nacional. Com a publicação pelo Banco Central do Brasil da Circular nº 3.532, de 25 de abril de 2011, que possibilitou a realização da compensação de cheques por imagem, a ABBC estabeleceu parceria com a Kofax, tradicional empresa multinacional de geração de imagens, com o objetivo de desenvolver um software implementando as regras definidas pela Circular. Este projeto, entretanto, demandou infraestrutura de TI robusta e com alta disponibilidade, devido ao grande volume das transações executadas, bem como a criticidade do negócio. “Até então, todo processo se baseava na troca de documentos, utilizando infraestrutura física e de parceiros para processar estes documentos, provenientes das diversas regiões do país” explica Paulo Souza, Superintendente de Infraestrutura e TI da ABBC.

 “Na época, elaboramos um projeto para reestruturar toda a infraestrutura de TI da ABBC, dispondo de novos servidores, storage, link de dados, entre outras soluções. Uma arquitetura completa para viabilizar toda a comunicação com o Banco Central”, comenta Nilton Serafim, Diretor de Vendas do Grupo Indyxa.

A solução adotada foi a reconstrução da infraestrutura e, posteriormente, de um site backup com replicação de dados alocados entre data centers, utilizando equipamentos de tecnologia HPE compostos por servidores BladesSystem, Storage e Desduplicação de dados para backup. Paralelamente à configuração da infraestrutura, foi realizado um self-assessment para atualização dos processos de negócios. Com a classificação dos riscos levantados pelo BIA (Business Impact Analisys), foi possível adequar a infraestrutura de backup às necessidades de recuperação das operações dentro dos SLAs do negócio. Com isso, a ABBC encontrou a parceria necessária para transformar suas demandas em resultados, por meio da TI.

Devido à criticidade do serviço prestado, se faz necessária uma gestão de melhorias contínua e aprimorada do ambiente. Sendo assim, OpenUX e Teiko passaram a executar a gestão compartilhada de toda a infraestrutura, realizando a sustentação dos ambientes na modalidade Outsourcing, apoiando desde os usuários internos até o suporte e monitoramento da operação de TI, envolvendo banco de dados, virtualização, Windows server, firewall, networking e storage.

“O grande diferencial é que a ABBC conta com uma equipe multidisciplinar, concentrando diversas expertises em um único fornecedor, o que garante uma entrega especializada e a alta capacidade de resolução. Vai muito além do que antecipar e solucionar as possíveis falhas; dispomos de uma equipe de arquitetos de soluções que dão apoio em todos os projetos com o objetivo de manter a infraestrutura em constante evolução”, comenta Nilton.

Hoje, a ABBC conta com um novo desafio onde obteve em 6 de março de 2017 a outorga do Banco Central do Brasil para desempenhar atividades como PSTI (Provedor de Serviços de Tecnologia da Informação para a Rede de Sistema Financeiro Nacional), viabilizando uma solução compartilhada para as instituições financeiras que precisam se utilizar de mensagens por meio do SPB (Sistema de Pagamentos Brasileiro). Neste modelo de serviço, a partir de uma estrutura compartilhada de hardware, software e aplicações, o projeto pode reduzir custos operacionais nas instituições financeiras de qualquer porte. Para torná-lo viável, as empresas do Grupo Indyxa realizaram todo o dimensionamento do ambiente, obedecendo as regras definidas pelo Banco Central para implementação desta modalidade de serviços e segregação na compra de licenças, equipamentos e upgrades necessários para a implementação do mesmo.

Este serviço utilizará infraestrutura de produção e de contingência hospedadas em Datacenters Tier III, localizados nas cidades de São Paulo e Barueri (SP), onde a ABBC já realiza o processamento dos serviços de compensação de cheques, boletos e outros documentos para múltiplos bancos de investimento, financeiras e cooperativas de crédito.

Atualmente são prestados serviços de processamento de compensação de cheques para mais de 80 instituições financeiras, como: Citibank, Safra, JP Morgan, Unicred do Brasil, Banrisul, Cecred, entre outros bancos comerciais, de investimento e cooperativas de crédito.

Para Paulo Souza, a parceria com a OpenUX e Teiko possibilitou estabelecer ações estratégicas e operacionais que viabilizam a continuidade da operação. “O emprego de melhorias contínuas para médio e longo prazo, voltadas para implementações das boas práticas, nos permitiu focar em ações estratégicas do nosso core business, identificando novas frentes de trabalho. Hoje contamos com uma infraestrutura consistente para o processamento de negócios que nos permite ofertar e incluir novas atividades ao nosso portfólio de Serviços Compartilhados. Recentemente, passamos por um processo de "Vendor Selection" para um banco internacional que resultou em elogios sobre a consistência e a robustez de nossa solução de processamento. Isto demonstra que estamos no caminho certo. Agradecemos por todo apoio recebido durante estes anos e torcemos pelo sucesso da Indyxa. Que venham novos desafios”, finaliza.

 

Mais Cases